Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/08/19 às 16h29 - Atualizado em 10/09/19 às 14h33

Recuperação de canais de irrigação

COMPARTILHAR

 

A Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural do Distrito Federal (Seagri/DF) está realizando diversas ações de infraestrutura na área rural. O objetivo é levar mais segurança, qualidade de vida, emprego e o aumento da renda para produtores rurais e moradores do campo. Uma dessas ações é a tubulação dos canais de irrigação em diversas regiões do DF.

 

Os canais de irrigação foram idealizados com o objetivo de levar desenvolvimento para a área agrícola do Distrito Federal. Com o passar dos anos, a manutenção foi ficando de lado e uma série de problemas foi ocorrendo, o que acarretou na diminuição da vazão da água, prejudicando muitos usuários.

 

Os pequenos produtores passavam por muitas dificuldades para irrigar suas plantações. O sistema de tubulação, antigo, já não garantia uma boa distribuição de água – as perdas, estima o técnico da Emater Edivan Souza, ultrapassavam a casa dos 50%. Agora essa realidade começa a mudar, com a chegada do Programa Polo Rural Rural, programa implantado por meio de uma parceria entre a Secretaria de Agricultura do GDF, a Emater, Caesb e agricultores.

 

Núcleo Rural de Tabatinga – Planaltina (DF)

 

Um bom exemplo disso, é o canal no núcleo rural de Tabatinga, em Planaltina (DF). Feito pela extinta Fundação Zoobotânica, possui cerca de 9 km de extensão, e é responsável por abastecer cerca de 37 propriedades rurais que produzem em uma área de 120 hectares, onde são cultivadas hortaliças, frutas, grãos, entre outros, além da criação de pescados.

 

Segundo o gerente do escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater/DF), Lucas Pacheco, levar água ao produtor rural é uma excelente maneira de oportunizar a permanência dele no campo, porque com água para irrigar, ele consegue gerar renda para sua família. “Os canais são uma ótima ferramenta, ainda hoje, de promoção do desenvolvimento rural. Eles conseguem levar água em regiões onde você tem um alto custo de energia e problemas com roubo de bombas d’água. Depois dessa tubulação, o produtor passou a ter água por gravidade, além de garantir uma frequência maior do fornecimento, ter menos problemas com roubos de equipamentos e redução do custo de energia”, explicou.

 

A propriedade do produtor rural e usuário do canal de Tabatinga, Eduardo Azevedo, é uma das últimas a receber a água do canal. Segundo ele, com a tubulação, a vazão da água irá aumentar consideravelmente, atendendo a todos que utilizam o canal. “Eu, como estou no final da linha do canal, sempre tive problemas com vazão de água e, desde quando fizemos a primeira etapa da tubulação, eu não tive mais problemas. Até hoje eu tenho água correndo 24 horas na minha propriedade. Agora com a segunda etapa, nós não vamos mais ter problemas nenhum com a utilização de água no final do canal”, observou.

 

Azevedo, que também é vice-presidente da Associação dos Usuários da Água do Canal de Abastecimento do Núcleo Rural Tabatinga (Auca), ressaltou que a tubulação desse canal já é uma demanda antiga. “Esse canal é a vida dessas chácaras. Nós sempre lutamos por essa tubulação. Isso é a realização de um sonho. Quando ele estiver pronto, eu tenho um projeto de colocar minhas estufas, outros querem criar peixes, entre outras atividades. Tudo isso em função da tubulação desses canais”, afirmou Azevedo.

 

A convite da Auca, o secretário executivo da Seagri/DF, Luciano Mendes, visitou as obras do canal de Tabatinga, acompanhado do subsecretário de Desenvolvimento Rural, Odilon Vieira Junior, do coordenador de operações da Emater/DF, Rodrigo Silva e de produtores do local. Segundo Luciano, os usuários estão muito satisfeitos com o andamento da obra. “Eles tinham receio de que a obra poderia parar com a mudança do governo, mas nós reforçamos que isso não iria acontecer e que as obras iriam continuar”, assegurou.

 

Núcleo Rural Buriti Vermelho – Paranoá (DF)

 

No Núcleo Rural Buriti Vermelho, no Paranoá, a água é captada de uma barragem próxima. Os 1.100 metros de tubos vão beneficiar 13 produtores rurais. O GDF oferece o maquinário e os tubos de PVC – grandes estruturas com quase meio metro de diâmetro que vão garantir água para a comunidade. A Emater-DF oferece a assistência técnica e os produtores, a mão de obra, em regime de mutirão.

 

O pequeno produtor rural Cleomar de Oliveira de França, 55 anos, se lembra bem do tempo em que ficou sem água em sua propriedade, onde produz mandioca, abóbora, batata-doce, milho verde e feijão-de-corda. “Foi uma época muito difícil, porque eu e minha família vivemos de nossas plantações”, conta.

 

Laerton Barnabé Batista, 65 anos, que vive com a família em uma chácara da região, se mostra animado com as obras de tubulação dos canais. “Acredito que vai ficar aqui para sempre e beneficiar não somente a nós, mas também nossos filhos e netos”, comemora.

 

Sobre as obras nos canais de irrigação

 

Até o momento, foram feitas intervenções em 24 canais de irrigação do DF, totalizando a instalação de 58 km de tubulações de PVC, que beneficiaram aproximadamente 542 agricultores.

 

De acordo com levantamento realizado pela Seagri e pela Emater, existem cerca de 63 sistemas coletivos de abastecimento de água para irrigação no DF, somando uma extensão total aproximada de 229 km de canais e com potencial para atender até 1043 usuários.

 

Este ano, foram feitas intervenções em 06 canais de irrigação do DF, totalizando a instalação de 18,3 km de tubulações de PVC, que beneficiaram aproximadamente 280 agricultores. A meta para este ano é de 30,5 km, atendendo a 312 produtores.

Os canais concluídos este ano são os de Santos Dumont, Buriti Vermelho, Lamarão e Rodeador.

 

Os canais que o processo de tubulação está em andamento são os de Tabatinga e Capão Comprido (Ramal II) e Granja do Ipê.

Os Canais previstos para tubulação iniciar as obras esse ano são os de Márcia Cordeiro, Capão Comprido (Ramal I).

 

Dados dos Canais de irrigação – atualizados em 29 de outubro de 2019

 

— De acordo com levantamento realizado pela Seagri e pela Emater, existem cerca de 63 canais no DF.

— Extensão total aproximada de 229 km de canais

— Com potencial para atender até 1043 usuários

 

— Até o momento, foram feitas intervenções em 24 canais de irrigação do DF.

— Totalizando a instalação de 58 km de tubulações de PVC.

— Que beneficiaram aproximadamente 542 agricultores.

 

— Este ano, foram feitas intervenções em 06 canais de irrigação do DF

— totalizando a instalação de 18,3 km de tubulações de PVC

— que beneficiaram aproximadamente 280 agricultores

— A meta para este ano é de 30,5 km, atendendo a 312 produtores.

 

— Os canais concluídos este ano:

Santos Dumont

Buriti Vermelho

Lamarão

Rodeador

 

— Os canais em andamento:

Tabatinga

Capão Comprido (Ramal II)

Granja do Ipê.

— Canais previstos:

 

Marcia Cordeiro

Capão Comprido (Ramal I)

 

— TEMOS AINDA CERCA DE 18 KM DE TUBOS NA SEGRI-DF PARA SEREM INSTALADOS

 

— SÃO TRÊS FRENTES DE TRABALHO NO MOMENTO: TABATINGA – GRANJA DO IPÊ – CAPÃO COMPRIDO (RAMAL II)

 

 

 

 

 

Gerente do escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater/DF), Lucas Pacheco.