Governo do Distrito Federal
19/04/22 às 17h09 - Atualizado em 19/04/22 às 17h09

Seagri-DF realiza ações de fiscalização do trânsito de produtos vegetais

A Secretaria da Agricultura do Distrito Federal (Seagri-DF) está atenta à procedência e qualidade das mudas de vegetais que chegam à capital federal. Nos meses de fevereiro e março, as equipes da Defesa Agropecuária da Seagri-DF realizaram ações de fiscalização do trânsito de produtos vegetais, no formato de “blitz”, nas principais regiões produtoras de vegetais e frutas do DF.

 

O objetivo das ações foi verificar a idoneidade das mudas quanto aos padrões de identidade genética e qualidade fitossanitária, especialmente para as culturas de relevante interesse para a agricultura local, por exemplo, as mudas de morango. Outro aspecto averiguado foi quanto à regularidade da origem das mudas. “As mudas de morango utilizadas no DF são majoritariamente vindas de outros Estados. E no mês de março boa parte dessas mudas chegam de fora, já que abril é época de plantio das mudas de morango. Por isso a importância da ação de fiscalização nesse período”, esclareceu a Subsecretária de Defesa Agropecuária da Seagri-DF, Danielle Araújo.

 

Ao todo, foram fiscalizados 150 veículos. Para a diretora de Fiscalização de Trânsito da Seagri-DF, Fernanda Oliveira, a fiscalização do trânsito de produtos agropecuários é uma das principais medidas para o controle da entrada de doenças que afetam os rebanhos e lavouras. “O trânsito é um local bastante estratégico para evitar que uma série de doenças e pragas entrem e se disseminem no território do DF”, afirmou.

 

Segundo o técnico em agropecuária da Gerência de Sanidade Vegetal da Seagri-DF, Adailton Guimarães, o uso de material de boa condição fitossanitária e de procedência idônea é determinante para o sucesso do cultivo. “Todo investimento do produtor fica comprometido em função da qualidade da semente ou da muda que ele utilizou”, destacou. Ainda, a qualidade fitossanitária das mudas pode acarretar prejuízos econômicos para toda uma cadeia produtiva. “A entrada de mudas sem garantia de procedência e de boa qualidade fitossanitária sanitária no território do DF implica risco de introdução de pragas e doenças no agrossistema local, podendo comprometer a sustentabilidade de toda a cadeia produtiva”, explicou Adailton Guimarães.

 

O técnico da Seagri-DF ressaltou a importância de que os produtores rurais sejam orientados quanto ao seu papel no controle fitossanitário das lavouras. “Por isso fizemos também educação sanitária com os produtores rurais abordados, orientando-os quanto à importância de adquirirem mudas de origem idônea e que atendam as exigências fitossanitárias”, complementou.

 

As atividades contaram com o apoio do Batalhão de Polícia Rural da Polícia Militar do DF.